Pega essa tua safadeza e vem cá.

A IMAGINAÇÃO É MINHA E SE EU QUISER EU TE DEIXO PELADO.

Me deixa…Se atreva

Me beija a boca, louca… Me deixa te comer gostoso. E não sinta vergonha de ouvir isso. Se atreva comigo, me joga no chão, pega a minha nuca, o meu cabelo e diz que nunca deu tão gostoso pra alguém. Me deixa morder tua orelha e intercalar dizeres de putaria entre mordidas e fôlegos. Me deixa te marcar no corpo e nas lembranças futuras. Me deixa driblar tuas peças de roupa e manter só dois sorrisos nus.
Me olha eu te comendo e, perde a vergonha, os receios, as roupas, só não a vontade…
Senta. Vira. Esquece o frio. Pede tapa. Geme. Fica tranquila, não vou parar. Fala alto. Me xinga. E o mundo também. Pede mais tapas. Recusa beijo. Não, não vai chegar ninguém. Puxa meu cabelo. Rebola. Beija. Já disse que não vou parar. Não desvia os olhos. Me olha. Me dá. Pede mais tapas. Geme. Relaxa…
E assim eu sou a tua nova experiência. Esquece teus pudores, e me esquece também. Me esquece no depois, pensa no agora, na hora, que passa e alimenta nossos ânimos. Que passa e a gente nem vê, nem sente… Que passa e deixa a gente na vontade de não pensar em futuros. Que passa e deixa a gente cada vez mais, a gente